Episódio 036 - Este é o Tapa da Mão Invisível
Play episode · 54 min
Um episódio onde Paulo Fuchs e Julio Santos contam como surgiu a ideia de criar o Tapa da Mão Invisível, o que aconteceu nos seus 8 meses de existência e quais são os planos para o futuro.
Todos os episódios estão disponíveis no Spotify, Soundcloud e iTunes. As show notes estão disponíveis em www.tapadamaoinvisivel.com.br.
Visite o site do nosso parceiro: Cap Rate - www.caprate.com.br
Apoie esta iniciativa em https://apoia.se/tapadamaoinvisivel
Ideias Gazeta do Povo
Ideias Gazeta do Povo
Ideias Gazeta do Povo
Ideias #182: Os perigos que Biden e Harris representam para a democracia americana
As eleições presidenciais nos Estados Unidos foram pensadas para evitar que estados mais populosos pudessem prevalecer sobre a maioria do país. Por isso existe um colégio eleitoral. Mesmo com essa peculiaridade, que torna mais difícil fazer previsões, a maioria das pesquisas eleitorais indicam uma vitória da chapa democrata. Mas como seriam os EUA de Joe Biden e Kamala Harris? O que mudaria em relação à administração de Donald Trump? Os colunistas da Gazeta do Povo Rodrigo Constantino e Guilherme Fiuza recebem Gabriel de Arruda Castro, diretor do Instituto Monte Castelo e doutorando em Política no Hillsdale College, que fica no estado de Michigan, para falar do impacto de uma possível vitória de Joe Biden. ----------------------------------------------------------------- A partir da próxima semana começa o podcast O Papo É… com Constantino e Fiuza. Nossos dois colunistas falarão dos temas mais quentes da semana neste novo programa, que será exclusivo para assinantes da Gazeta do Povo. Se você ainda não é assinante da Gazeta do Povo, aqui está um link aqui para uma oferta exclusiva. Acesse a OFERTA EXCLUSIVA: https://bit.ly/3mlQtBM Lembrando que apenas assinantes vão poder escutar o novo podcast com o Rodrigo Constantino e o Guilherme Fiuza. O podcast Ideias segue com análises aprofundadas e convidados especiais toda semana. --------------------------------------------------------------------------- Tenha acesso a conteúdos exclusivos! Assine: bit.ly/2t5mxEe Escolha seu app favorito e receba uma seleção com as principais notícias do dia ou da semana no seu celular: leia.gp/2MTnyrS Acompanhe a editoria Ideias nas redes sociais: Facebook: www.facebook.com/ideiasgazetadopovo/ Twitter: twitter.com/ideias_gp Canal no Telegram: t.me/ideiasgazetadopovo
1 hr 21 min
Guten Morgen - Senso Incomum
Guten Morgen - Senso Incomum
Senso Incomum
106: Quem checa os checadores?
Senso Incomum: sensoincomum.org Facebook: https://www.facebook.com/sensoincomumorg Twitter: https://twitter.com/sensoinc Instagram: https://www.instagram.com/senso.incomum Seja membro do Brasil Paralelo: https://bit.ly/3d8Wleh GUTEN MORGEN GO - Primeira Guerra Mundial: https://go.sensoincomum.org Assine a revista do Senso Incomum: Apoia.se: https://apoia.se/sensoincomum Patreon: https://www.patreon.com/sensoincomum Livraria Senso Incomum: https://livraria.sensoincomum.org Livro "Inquérito do fim do mundo - O apagar das luzes do Direito Brasileiro", organizado por Cláudia Piovezan: https://livraria.sensoincomum.org/inquerito-do-fim-do-mundo Camisetas e canecas Senso Incomum na Vista Direita: https://www.vistadireita.com.br/categoria/senso-incomum/ Faça seu currículo na CVpraVC: https://www.sensoincomum.cvpravc.com.br Curso "Ciência, Ideologia e Política em Eric Voegelin", de Flavio Morgenstern no Instituto Borborema: https://institutoborborema.com/produto/curso-ciencia-politica-e-ideologia-em-eric-voegelin/ Curso "Infowar: Linguagem e Política", de Flavio Morgenstern, no Instituto Borborema: https://institutoborborema.com/2017/05/08/curso-infowar-linguagem-e-politica/ Trashin para gestão de resíduos da sua empresa: https://trashin.com.br/sensoincomum/ Loja Marbella Infantil de roupas para seus pequenos (também no Instagram): marbellainfantil.com.br http://instagram.com/marbellainfantil ⚓ Guten Morgen, Brasilien! Enquanto as pessoas sem cultura (ou seja, que não ouvem o Guten Morgen, o seu podcast preferido) discutem ninharias nas redes sociais achando que são coisas importantes, nós, os cobras, sabemos que a notícia mais chocante sem mortes do século foi a censura disfarçada de suposto "fact-checking" (ou falta de) da reportagem do New York Post sobre os negócios escusos do filho de Joe Biden, Hunter Biden, alegando poder ser uma tal de "fake news", o termo que todos os bocós aprenderam a repetir obedientemente para se sentirem inteligentes, filosóficos e científicos. Agências de suposto e auto-intitulado "fact-checking" são exatamente o Big Brother do 1984 de George Orwell: burocratas com interesses políticos (e partidários) querendo dizer o que é verdade por nós. Ou seja, controle totalitário. Ou seja, censura. Ou seja, o que todo tirano e genocida no mundo quis: uma agência de fact-checking para escolher "checar" só o que os outros dizem, e proibir ou menosprezar a sua circulação. Agências mentirosas como Lupa, Aos Fatos, UOL Verifica, Estadão Verifica, Boatos e outras espalham fake news a rodo, como já demonstramos neste Senso Incomum e vamos continuar checando. Mas elas retiram seu garbo de dois fatores completamente totalitários: o poder de controlar as informações que circulam e a repetição robótica e bovina pela população dos termos que eles escolhem tratar como grandiosos – como "fascista" não colou, lá vem fake news pra cá e fact-checking pra lá, fazendo os trouxas acreditarem que viraram reis-filósofos por aprenderem a obedecer gente poderosa querendo controlar o mundo. Isso não significa a defesa de fake news, tal como criticar o Big Brother is watching you de Orwell não significa a defesa da mentira: significa a crença de que a liberdade e o pensamento racional, filosófico, técnico e científico é sempre melhor do que a crença ideológica no controle e na censura, ainda que travestida de nomes chiquezinhos nos quais o rebanho acredita e repete goebbelsianamente. Em outras palavras: a reportagem foi censurada antes de passar por uma suposta agência de auto-intitulado fact-checking. Nem mesmo a desculpa mais estúpida já inventada para a censura foi usada: tratou-se de censura no modelo mais brega, autoritário e desabrido de todos, tentando esconder uma reportagem antes de passar por uma agência de suposto fact-checking, por saber que era uma reportagem que prejudicaria Joe Biden.
1 hr 14 min
More episodes
Search
Clear search
Close search
Google apps
Main menu