Outliers
Outliers
Oct 17, 2020
#14 - Flavio e Rodrigo Terni, da Giant Steps: os irmãos que querem ser a Starbucks do mercado de fundos
1 hr 5 min
Irmãos com perfil empreendedor, engenheiros de formação, mas sempre com o foco no mercado financeiro, Flavio e Rodrigo Terni estão entre os nomes à frente da gestora Giant Steps, focada em estratégia quantitativa. Com cerca de R$ 5 bilhões sob gestão, a casa tem três famílias de produtos, sendo o fundo Zarathustra o mais antigo e conhecido. Seu objetivo está em explorar momentos irracionais de mercado, seja de euforia ou pânico, com um resultado descorrelacionado do resto da indústria para o investidor. Esse tipo de estratégia tem sido cada vez mais disseminada entre gestores, e os irmãos Terni acreditam que, em breve, nem fará mais sentido a distinção com o nome quanti. “Minha previsão é que essa palavra vai deixar de existir, porque todo mundo vai ser quantitativo”, diz Rodrigo. Neste episódio do Outliers, os executivos explicam o que está por trás do modelo quanti, como a Giant Steps opera e mostram suas recomendações para analisar os fundos na hora de investir.
Os Pregões que fizeram história
Os Pregões que fizeram história
InfoMoney
#12 - Moratória da Rússia
10/09/1998 — O Ibovespa despencou 15,83% em mais um pregão de pânico causado pela moratória da Rússia, que vivia uma grave crise com a forte desvalorização de sua moeda, o rublo. Só naquele pregão, a Bovespa, hoje B3, foi obrigada a acionar o circuit breaker por duas vezes. O mecanismo de paralisação automática dos negócios entrou em ação cinco vezes entre agosto e setembro daquele ano. A Rússia era governada por Boris Yeltsin e havia se tornado a maior tomadora do Fundo Monetário Internacional, o FMI. O país vivia em um emaranhado de dívidas, com desorganização econômica, sonegação fiscal e inadimplência interna generalizadas. Mais da metade da população não pagava impostos. Na primeira semana de agosto, o índice da bolsa de Moscou perdeu 24% de seu valor, e a agência de classificação de risco Moody’s rebaixou a nota das dívidas russas em moeda estrangeira. O presidente Yeltsin precisou interromper suas férias de verão para retornar a Moscou. Em 16 de agosto, o governo e o banco central russo sucumbiram às pressões sobre o rublo, e foi decretada moratória internacional de 90 dias. Houve desvalorização da moeda de 33% e foram suspensas as negociações com bônus internos de curto prazo. Era a senha para que o mercado internacional de crédito mergulhasse em novas e graves incertezas, com acelerada depreciação de todos os ativos financeiros ao redor do mundo.
36 min
More episodes
Search
Clear search
Close search
Google apps
Main menu